DONA ZEFINHA PEREIRA, A DONA DO SERROTE

Josefa Pereira da Silva (irmã do Comandante Superior Manoel Pereira da Silva e do Coronel Simplício Pereira da Silva) era casada com o Major Joaquim Nunes da Silva, Capitão da 1ª Companhia do Batalhão nº 28 e Major Fiscal da Guarda Nacional. Senhora de inúmeras propriedades rurais no município e alguns prédios na Vila de Belmonte, era proprietária da fazenda Serrote da Guia onde residia e possuía muito gado e muitos negros que o serviam como escravos. Criou seus filhos sozinha, pois ficou viúva muito cedo, deu-lhes rígida educação que primava pelo respeito e obediência. Gostava de trabalhos manuais, como fiar, fazer varanda de rede e também gostava de matar o tempo na almofada a fazer renda. Era muito religiosa, rezava diariamente o Ofício de Nossa Senhora e, a cada primeira sexta de cada mês, assistia a missa na Capela de São José do Belmonte. Dona Zefinha levava sempre consigo um bacamarte ou garrucha, nas caminhadas andava a cavalo ou de liteira, contava para sua guarda e proteção, homens corajosos e hábeis no manejo das armas, conhecidos como “os cabras de Dona Zefinha”. Faleceu no dia 07 de julho de 1873, na sua fazenda Serrote da Guia. Deixou 11 filhos: João Pereira da Silva Nunes, José Avelino Pereira da Silva (político de Belmonte nos finais do século XIX e bisavô do Sr. Olímpio Pereira de Sá), Manoel Pereira da Silva Nunes, Antônio Simplício Pereira da Silva, Alexandre Pereira da Silva Nunes, Francisco Nunes da Silva, Esperidião Pereira da Silva Nunes, Maria José Pereira da Silva (Dona Dé), Jacinta Océria Pereira da Silva (esposa do coronel José Pereira de Aguiar), Úrsula Pereira da Silva e Francisca Océria Pereira da Silva. Foi nas terras da fazenda de dona Zefinha Pereira que tempos depois surgiu o povoado do Serrote e que tem como Padroeira, Nossa Senhora das Dores, cuja festa se comemora a cada dia 15 do mês de setembro, sendo precedida de concorrido novenário entre os habitantes da vila e de toda aquela ribeira.

 

DONA ZEFINHA PEREIRA

 

Por Valdir José Nogueira

   

Você pode gostar...