JOSÉ PEREIRA DA SILVA X OS PEREIRAS VASCONCELOS

Essa publicação é uma visão minha e em cima de pesquisas, assim entendo:
Não existe o chamamento quando no Encontro da família Pereira do Pajeú, “Os descendentes de José Pereira da Silva e Jacinta Océlia de Santo Antônio”.

Temos que entender que outros Pereiras podem ficar chateados ou se sentirem esquecidos, pois os Pereiras de Souza ou Pereira Gavião, são descendentes de Antônio Pereira de Souza, irmão de José Pereira da Silva (meu pentavô), conhecido como tronco dos Pereiras da Ribeira do Pajeú. Como também tem os Pereiras de Vasconcelos, da Lagoinha e Siliveira, que por casamentos com os Pereira de Souza foi perdendo de Vasconcelos e ficando Pereira de Souza.

Fica claro que em Serra talhada tem três descendência de Pereira, sendo seus cabeças:

1- José Pereira da Silva (Zezinho), casado com Jacinta Océlia de Santo Antônio ou Jacinta Rodrigues, filha de José Carlos Rodrigues e Ana Joana Batista Pereira da Cunha. Ele Capitão da GN.

2- Antônio Pereira de Souza ou da Silva, casado com Rosa Pereira da Silva, filha de Amorim, senhor de muitas terras em Manaíra-PB.

3- João Pereira de Vasconcelos, casado com Honora Maria do Espirito Santo (mais detalhes sobre seus ancestrais e descendentes já publicados na genealogia pernambucana, enviado por mim).

Desde que descobri minha família Pereira do Pajeú pernambucano ouço que Jacinta Océlia de Santo Antônio ou Jacinta Rodrigues, casada com o Capitão José Pereira da Silva (Zezinho), ele  tronco dos Pereiras do Pajeú pernambucano.

Ora! Os próprios historiadores , cito Luís Wilson, diz que José Pereira da Silva, procedente das Sesmarias do Alto Jaguaribe (nos Inhamuns), no Ceará, chegou a Fazenda Inveja, próximo a Bom Nome, arrendada ou já de propriedade, talvez, de Ana Gomes de Carvalho. Ele vaqueiro  a princípio daquela Fazenda, tempo depois casa com a aprendada Jacinta Rodrigues, filha legítima e  querida do abastado fazendeiro José Carlos Rodrigues ( remanescente dos fundadores da Casa da Torre e dono da Fazenda Sabonete, hoje Bom Nome) e recebe a Fazenda Carnaúba.

Dizem que José Pereira da Silva também era um remanescente da Casa da Torre na Bahia, da qual o fundador foi o fidalgo Garcia D’Ávila, que aqui chegou em 29 de março de 1549, com a comitiva do primeiro Governador Geral do Brasil Tomé de Sousa. Como também, sua sogra, Ana Joana Batista Pereira da Cunha, acredito eu que seja Pereira da cunha da Bahia, parente de seu genro.

Luís Wilson diz ainda que algum tempo depois chega seu irmão  Antônio Pereira de Souza com sua mãe,  que fundou naquela região, a Fazenda Gavião. Uma das filhas de Antônio Pereira de Souza e Rosa Pereira da Silva, Verônica Pereira da Silva (Baronesa do Pajeú), casou com o Coronel Andrelino Pereira da Silva (Barão do Pajeú), assim como seu neto, filho do Capitão Manoel Pereira de Souza (da Fazenda Figueira), Francisco, casou com Ana do Cedro (filha do barão e da baronesa).

Então você já observa os casamentos entre os descendentes dos dois irmãos.

Já, Carmélia Ignácio de Melo, fala que João Pereira de Vasconcelos, procedente da região dos Inhamuns, Tauá-CE, e adiantando a conversa com o primo Luís Pereira Nunes (Luís de Ourinho), trineto de João, assim como Carmélia, diz que João Pereira de Vasconcelos chegou com sua mãe Maria Pereira dos Santos e fixaram-se nas Fazendas Lagoinha e Siliveira (enviei mais detalhes e já publicados na genealogia pernambucana).

Um dos filhos de João Pereira de Vasconcelos, Manoel Pereira de Vasconcelos (Né do Mirador), casado com Ana Nunes de Souza, são os pais de Antônia Nunes de Souza (Sinharinha), casada com Sebastião Ignácio de Oliveira (Baião Inácio), pais de Manoel Ignácio de Oliveira (Isnerio Ignácio).

Vejam uma entrevista de Sinhô Pereira com Lorena, para podermos entender melhor o parentesco próximo com os Pereira de Vasconcelos.

Lorena – E o seu problema com Isnero Ignácio, como aconteceu?

Sinhô – Naquele tempo chegou para se agrupar comigo o meu parente Luiz Pereira Nunes (Luiz do Triângulo) acompanhado dos primos Chiquito e Teotônio do Silveira, valente ao extremo. Depois de várias refregas, explicou-me que estavam comigo por que foram escorraçados da sua propriedade na região de Santa Rita pelo primo Isnero Ignácio. Estavam se preparando para desforra e esperava o meu apoio.

Lorena – Qual foi sua reação?

Sinhô – Ponderei que já bastavam as inimizades já existentes e que Sinharinha, mãe de Isnero, era filha de tia Donana, figura considerada sagrada pela minha mãe.

Lorena – E Luiz do Triângulo, como reagiu?

Sinhô – Ficou contrariado, sem aceitar minhas ponderações. Entretanto, concordou que eu fosse com Luiz Padre pedir a interferência de Antonio Inácio de Medeiros também primo de Isnero, Sr. Sebastião Inácio de Oliveira, concordou. Isnero e mãe Sinharinha foram radicais, não aceitaram qualquer forma de reconciliação, inclusive proibiram o parente Luiz do Triângulo de voltar a sua propriedade.

Lorena – E daí, o que aconteceu?

Sinhô – Foi uma estupidez o que fizemos. Ateamos fogo na Fazenda Santa Rita, deixando em cinzas o roçado, o canavial, o engenho, os currais e a casa da fazenda.

* Chiquito, Mitonha e Dona Ná, são filhos de Joaquim Pereira de Vasconcelos, Quinca do triângulo (filho de João Pereira de Vasconcelos) e Ana Joaquina de Souza (neta de Antônio Pereira da Silva e Constância Pereira da Silva).

* Os irmãos Luís do triângulo e João Nunes de Souza, são casados com Mitonha e Dona Ná, respectivamente. Elas netas de João Pereira de Vasconcelos, bisnetas de Antônio Pereira da Silva, (filho do Capitão José Pereira da Silva) e trinetas de Antônio Pereira de Souza.

* Sinharinha era prima legítima de Mitonha, esposa de Luís do triângulo.

* Luís Nunes de Souza (Luís do triângulo), que acredito ser Nunes do avô materno de Sinharinha, Antônio Nunes de Souza, da Serra Pintada, Santa Inês-PB, o mesmo Nunes Wanderley que eu  descendo.

* Maria Socorro de Oliveira, filha de Sinharinha, casou com Luís Conrado de Lorena e Sá. Ela bisneta de João Pereira de Vasconcelos e Ele tetraneto do Capitão José Pereira da Silva.

* Maria José Nunes de Souza, tia materna de Sinharinha, é mãe de Francisca Pereira de Souza, casada com Izidoro Pereira de Aguiar, pais de:

1- Constância Pereira de Aguiar, casada com Lucas do jardim, filho de Sabino Pereira de Souza (Filho do Capitão Manoel da Figueira, filho de Antônio Pereira de Souza, irmão do Capitão José Pereira da Silva) e Manuela Pereira de Souza (filha de João Pereira de Vasconcelos). Uma filha do casal, Geseuda Pereira de Souza, casou com Joaquim Pereira de Souza, filho de Luís do Triângulo.

2- Maria Licor Pereira Ferraz, mãe de Luís Wilson de Sá Ferraz.

* Luís Wilson diz que seu bisavô Antônio Pereira Nunes de Souza, Luís do Triângulo e Sinharinha, descendem de Antônio Pereira da Silva, filho do Capitão José Pereira da Silva e Jacinta Rodrigues.

———

Sobre os descendentes dos Pereira de Souza e Pereira de Vasconcelos enviei e já publicados na genealogia pernambucana. Um trabalho cansativo mas prazeroso, sempre agradeço a credibilidade que os parentes tem em mim.

Sérgio Elias Wanderley
Fonte: Vila Bela, os Pereiras e outras histórias, Família Ignácio Cabral de Oliveira Medeiros e outros, Genealogia Pernambucana.

   

Você pode gostar...